Atendimento

(18)3605-9500

Santópolis do Aguapeí, 22 de Junho de 2017

A História de Santópolis do Aguapeí

O terreno onde se localiza o município de Santópolis do Aguapeí, foi adquirido em fins de 1940, pelo Sr. Antônio Francisco dos Santos Júnior, dos senhores Toledo Pizza e Rosa Galvão, numa área de 2600 alqueires.Já nesta época, nos arredores onde se localiza a cidade havia colonos japoneses, que nelas se instalaram por volta de 1938.A região era coberta de exuberante mata, onde havia as mais diversas madeiras. Não havia índios na área do município, mas animais em profusão.

Em meados de 1940 começaram a ser construídas as primeiras casa da povoação que deram origem a vila, então chamada Mil Alqueires.Não havia estradas, e o único meio de comunicação era uma picada (estrada rudimentar) através da mata comunicando-se com Clementina de um lado e chegando do outro as margens do Rio Aguapeí. A terra, apesar de muito arenosa, era fértil e dadivosa, tudo que se plantava colhia. A mata foi sendo derrubada, lavouras foram surgindo, novas famílias de origem japonesa, nortistas e nordestinos, principalmente, foram aqui se estabelecendo. O nome do vilarejo foi mudado para Santópolis em homenagem ao Antônio Francisco dos Santos Júnior, considerando seu fundador, recebendo sua denominação atual, Santópolis do Aguapeí, ao ser elevado à condição de Distrito de Paz.

Em 30 de dezembro de 1959, Santópolis do Aguapeí, foi elevado á categoria de município.O município eminentemente agrícola , prosperava consideravelmente, mas a partir de 1963 começou a entrar em decadência devido a queda da produção agrícola.Em virtude da erosão do solo, e da falta de incentivos por parte do governo e de uma política que priorizasse a agricultura, os fazendeiros foram transformando as lavouras em pastagens e houve grande êxodo rural.

Tanto a população rural quanto a urbana diminuíram sensivelmente, pois o município não conseguiu absorver essa população por falta de infra estrutura e por não existir nenhuma indústria que empregasse os trabalhadores.

Hoje, como em toda região, as terras santopolenses, além das pastagens tem grandes áreas onde se planta cana de açúcar para sustentar as usinas de álcool e açúcar. Por tudo isso a vida da cidade, atualmente, está estagnada e enfrenta sérios problemas sócio-econômicos e culturais.